CONHEÇA A IMPORTÂNCIA DE SABER PRATICAR GESTOS QUE SALVAM.
Posts recentes

SBV

Pesquisar neste blog
 
Maio 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
Links úteis
RSS
Terça-feira, 6 de Maio de 2008
SBV

Suporte Básico de Vida no Adulto

  • O que fazer?
Não fazer qualquer aproximação a uma vítima sem primeiro verificar as condições de segurança.
Garantida a segurança, aproximar-se da vítima e fazer a avaliação do estado de consciência, tocando suavemente os ombros e chamando por ela.
 
Se a vítima responder, deixá-la na posição em que se encontra, fazer o exame secundário e o alerta, reavaliando a vítima frequentemente enquanto não chegarem os técnicos de emergência.
 
OU
 
Se a vítima não responder aos estímulos, gritar de imediato por ajuda e colocar a vítima de costas.
 
Fazer a abertura da via aérea utilizando a técnica de extensão de cabeça com elevaçãodo maxilar inferior e executar o VOS até 10 segundos, para avaliar se a vítima tem uma ventilação eficaz.
 
 Ver- existência de movimentos toraco-abdominais
 Ouvir- o ruído da inspiração/expiração
 Sentir- a saída do ar na face do socorrista
 
 
Numa vítima cianótica (azulada) uma respiração irregular e ruidosa não é considerada eficaz. Em caso de dúvida, se a vítima apresenta alguma ventilação espontânea, o socorrista actua como ausência de ventilação.
 
Se a ventilação for eficaz, colocar a vítima em Posição Lateral de Segurança (PLS) e, de preferência, pedir a alguém para fazer o alerta para não ter de abandonar a vítima. A PLS deve ser adoptada em todas as situações de inconsciência. Em caso de a vítima agravar o seu estado, esta posição permite que se possa voltar a vítima com facilidade para o decúbito dorsal.
 
Se a vítima não ventila ou ventila de forma não eficaz, faça ou peça a alguém para fazer de imediato o alerta e inicie rapidamente as manobras de SBV. Comece pelas compressões torácicas, colocando-se de joelhos junto do tórax da vítima.
 
Depois de fazer 30 compressões torácicas, faça a extensão da cabeça e elevação do maxilar inferior e execute 2 insuflações.
Através do método de boca-a-boca, ou através de uma máscara de bolso, insuflar suavemente, enquanto observa a elevação do tórax. Faça a insuflação durante um segundo. A quantidade de ar a insuflar é a estritamente necessária para elevar o tórax.
 
Afastar-se da cabeça da vítima e observar a descida do tórax. Faça nova insuflação. Após 2 insuflações, volte às 30 compressões torácicas.
 
Na impossibilidade de executar o método boca-a-boca, o método de respiração boca-a-nariz pode ser uma alternativa.
 
  
Se a insuflação inicial não fizer o tórax expandir, verifique:
- se há algum corpo estranho na boca; retire-o apenas se ele estiver visível. Reinicie de imediato as insuflações.
- se a posição da cabeça está correcta.
- se a vítima possui vestuário apertado.
 
Se por algum motivo não for possível efectuar a insuflação, deve fazer apenas as compressões torácicas e a um ritmo de 100/minuto. Suspenda esta manobra logo que a vítima recupere a ventilação eficaz.
 
 
 
Manter as manobras de SBV até:
- chegar alguém mais qualificado e tomar conta da situação;
- a vítima começar a respirar de forma eficaz;
- à exaustão do socorrista.
 
 
 
Tags:
Publicado por Socorrismo às 09:24
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Mais sobre o grupo
Fotos
Tags

alcoolismo agudo

anexos

avc

choque

diabetes

dor precordial

engasgamento

epilepsia

feridas

geladura

golpe de calor

hemorragias

hipotermia

insolação

intoxicações

introdução

sbv

todas as tags

blogs SAPO